dezembro 07, 2009

estavas à janela...

... esperando pela lua, para te afagar os cabelo que tanto gosto de tocar. Caracóis que de derramam nos ombros e te tornam excitantemente bela. Eras quase brisa, quase sonho, quase milagre, quase princesa que encanta os sonhos meus. O teu ar altivo, imponente, à janela. Corpo que encanta quem te vê, ou não vendo te imagina e te quer tocar… toquei-te, à janela, não resistindo a brisa perfumada de desejo que me invadiu, soprada por ti. Brisa carregada de vontade, de sexo, de sussurro, de gemidos abafados por ausências que custam tanto a passar. Brinquei com os teus seios que esperavam carícias, e beijos molhados. Senti-os sorrindo quando me ofereceste, em provocações de janela, em mãos beijadas por Novembro, cinco. Cinco beijos, cinco dedos, cinco toques arrepiados, cinco penetrações sentidas, cinco orgasmos mal contados, cinco sorrisos tão belos que tu tiveste à janela.






2 comentários:

Zeze disse...

Ah Ganda Poeta!!! :)
Boas fotos, mas olha o que fizeste na perninha da menina não se faz, está negra :)

Um Abraço

Alentejanito disse...

Belas fotos!
continua...
Beijos tesudos